sábado, 7 de março de 2015

Sábados de chuva

                                               
   
  Nem tem o que dizer, sábados chuvosos não são os melhores, mas tudo se mostra contrário com você, ao chegar na sua casa deixei toda neblina para fora, soprei pra longe a trovoada e entrei. O clima de paz me preencheu, seu sorriso e seu abraço me aconchegaram de uma forma impronunciável. Te beijei.

 Te beijei e senti que não era apenas um beijo, mas um laço, uma aliança, algo que me restituía de volta a você, algo que esperei a semana toda para ter. Sua presença me fez parar, de uma forma que não aconteceu nessa semana, todas as coisas que eu tinha para lhe contar pareciam insignificantes comparadas ao brilho do seu olhar.

         Hoje foi maravilhosamente lindo com a chuva lá fora, em mim a luz irradiava vindo de você, e tudo que eu poderia querer aconteceu. Ao sentir teu toque, ao me arrepiar, ao rir com você e você rir de mim, percebi que somos a completude um do outro, que somos o cais onde nossos barcos cansados procuram abrigo e amor.
 
       Ouvi a chuva misturada a sua voz. Senti o calor da sua alma e, digam o que quiserem, mas os sábados chuvosos são os melhores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário